Existe um aumento natural do volume prostático ao longo da vida. As consequências desse processo são os sintomas do trato urinário inferior, como o jato urinário fraco, gotejamento após término da micção, esforço para urinar, sensação de que não esvaziou completamente a bexiga, acordar à noite para urinar diversas vezes, entre outros.

Além disso, alguns pacientes podem cursar com sangramento na urina, formar cálculos vesicais, ter retenção urinária com necessidade de passagem de sondas vesicais ou ter insuficiência renal decorrente do aumento da próstata.

Em alguns casos, o tratamento medicamentoso é suficiente para garantir uma melhora acentuada dos sintomas. No entanto, para aqueles pacientes em que o medicamento já não apresenta o efeito esperado, ou não tem o desejo de continuar com a medicação, ou tem complicações graves por conta do aumento do volume da próstata, é necessário o tratamento cirúrgico.

As possíveis intervenções cirúrgicas são as cirurgias endoscópicas, que são feitas sem a necessidade de incisões, através da uretra ou cirurgias abertas ou cirurgias videolaparoscópicas. As indicações variam conforme o tamanho da próstata, comorbidades e preferências dos pacientes.

 

As cirurgias endoscópicas são:

  • Ressecção transuretral de próstata com alça monopolar
  • Ressecção transuretral da próstata com alça bipolar
  • Incisão transuretral de próstata
  • Fulguração ou enucleação da próstata com laser
 

Cirurgias abertas e videolaparoscópica são:

  • Prostatectomia transvesical
  • Prostatectomia pela técnica de Millin
  • Adenomectomia transvesical videolaparoscópica

O Dr. Rafael Fagionato Locali é especialista no tratamento da hiperplasia prostática benigna. Para mais informações agende uma consulta com Dr. Rafael Fagionato Locali.

WhatsApp Agende pelo Whatsapp