Agende uma consultaFale conosco pelo WhatsApp

Disfunção Erétil – Quando devo procurar ajuda médica?

Disfunção Erétil – Quando devo procurar ajuda médica?
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Disfunção Erétil – Quando devo procurar ajuda médica?

12 julho, 2019

A disfunção erétil é a incapacidade do homem de obter e/ou manter uma ereção peniana suficiente para uma atividade sexual satisfatória e feliz!

Ela pode ser diagnosticada em diversas fases da vida, mas o problema aparece com mais recorrência na população mais madura.

A disfunção erétil prejudica a qualidade de vida dos casais, provoca perda de autoestima e autoconfiança do paciente e causa problemas interpessoais, inclusive com a parceira.

Mas como descobrir se tenho esse problema?

Para diagnosticar a disfunção erétil diversos fatores precisam ser analisados pelo médico urologista, no entanto, os principais sinais observados nos pacientes, são:

  • Diminuição da intensidade da ereção;
  • Dificuldade de ter e sustentar a ereção;
  • Diminuição da libido

Causas da Disfunção Erétil

Essa disfunção pode estar associada a diversos fatores de risco e/ou doenças que, comprovadamente, afetam o bom funcionamento da ereção peniana e/ou da libido.

Veja a seguir o quadro ilustrativo que mostra, algumas causas observadas nos pacientes:

Estes fatores podem ser divididos entre:

Causas Neurológicas

Lesões do sistema nervoso central e periférico, como acidentes vasculares cerebrais, esclerose múltipla, traumatismos raquimedulares, neuropatia diabética podem provocar disfunção erétil.

Cirurgias coloproctológicas e cirurgias pélvicas também podem ser potenciais agravantes e/ou determinantes na piora da qualidade das ereções penianas, em especial a cirurgia para tratamento do câncer de próstata.

Causas Vasculares

Os fatores de risco para doenças aterosclerótica coronariana também são determinantes para o diagnóstico de disfunção erétil. Dessa forma, tabagismo, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemias, sedentarismo e obesidade representam risco maior de prejuízo à ereção. Essa relação é tão forte que existem estudos que mostram que a disfunção erétil antecede em 4 anos um evento coronariano, em pacientes que esses fatores de risco não controlados.

Causas Endócrinas

Segundo alguns estudos o diabetes está intimamente relacionado à disfunção éretil. Aproximadamente 75% dos homens que apresentam diagnóstico de diabetes mellitus têm problemas de ereção. Essa disfunção aparece entre 5 a 10 anos antes nos homens com diabetes em comparação com a população não diabética.

Além disso, a diminuição da testosterona, seja por insuficiência testicular ou por déficit de estímulo à produção, conhecido como HIPOGONADISMO também é uma causa bem comum de disfunção erétil

Sedentarismo

O sedentarismo, também apresenta relação com problemas de disfunção erétil. Quando um paciente com disfunção erétil e sedentário adota uma atividade física regular, a taxa da doença cai para 9% ao contrário do grupo que permanece sedentário, representando uma taxa de 30% dos casos.

Medicamentos

Medicamentos também podem exercer influência sobre a qualidade da ereção. Os grupos que mais apresentam relação com a disfunção erétil são alguns tipos de anti-hipertensivos e diuréticos, drogas de ação no sistema nervoso central, como alguns tipos de antidepressivos, antipsicóticos, anticonvulsivantes, drogas utilizadas no tratamento de dislipidemias e bloqueadores androgênicos.

Diagnóstico

O diagnóstico correto baseia-se na queixa e em todos as possíveis causas envolvidas. Sempre digo aos pacientes que não existe uma causa isolada, mas sim uma somatória de “pequenas” causas, de maneira que é o conjunto delas que faz surgir o problema. Por isso, é necessário procurar um médico de sua confiança para fazer uma avaliação criteriosa e humanizada sobre os principais sintomas.

O ponto mais importante desse diagnóstico é a história clínica do paciente, na qual devem ser investigados os possíveis fatores de risco associados com a piora da ereção, principalmente os relacionados aos as doenças cardiovasculares e ao diabetes.

Os medicamentos que o paciente faz uso também é um ponto que deve ser tratado com cautela.

Além disso, são critérios para diagnóstico:

  • Duração superior a seis meses, persistente ou recorrentemente
  • Presença de sofrimento ou desconforto
  • Dificuldades interpessoais.

O ambiente familiar, profissional, psicossocial e religioso também é um ponto importante nesta primeira avaliação.

São levados em conta também a insatisfação ou o desconforto da mulher e/ou do (a) seu (sua) parceiro (a).

É importante deixar claro que as falhas eventuais, como preocupações ou excesso de trabalho, não definem um quadro disfuncional.

Exames Laboratoriais

O exame físico também é muito importante no diagnóstico de disfunção erétil. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, os exames para investigação inicial dessa doença, devem ser:

  • Exame Hematológico;
  • Glicemia de Jejum;
  • Testosterona Total e Livre;
  • Perfil Lipídico.

Em alguns casos, alguns exames adicionais podem complementar o diagnóstico, são eles:

  • Teste de ereção fármaco-induzida;
  • Ecodoppler Peniano com ereção fármaco-induzida

Quando é hora de procurar ajuda médica?

Um especialista deve ser procurado sempre que a vida sexual for prejudicada por distúrbios frequentes, por exemplo: se o homem sente dificuldade em sustentar uma relação sexual porque o pênis volta rapidamente à flacidez ou nem consegue ficar rígido; se ele ejacula por poucos segundos ou antes da penetração; se o apetite sexual caiu ou desapareceu por completo e até se a parceira não se sente satisfeita com seu desempenho.

No entanto, o número de pacientes que apresenta disfunção erétIl é muito maior do que pensamos, pois muitos não procuram ajuda. As razões para esta “fuga do consultório” variam desde a complexidade da sexualidade, os tabus, as restrições culturais e machistas, a ignorância em relação aos tratamentos e até a aceitação de que este problema é uma consequência normal do amadurecimento.

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu e-mail? É só se cadastrar! Estamos no @drrafaellocali (ative as notificações para visualização).

Abs! Dr. Rafael F. Locali | Urologista | CRM 133874

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 99802-1564

Quer conhecer um pouco mais sobre o trabalho do Dr Rafael Localli? Clique  https://drrafaellocali.com.br/

Dr. Rafal Locali
Dr. Rafael Fagionato Locali
Urologista
CRM 133874
Logo Dr. Rafael Locali

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE

planeta_22 planeta_11 planeta_22 planeta_11 menino_footer_blog_interno