Agende uma consultaFale conosco pelo WhatsApp

Reposição Hormonal Masculina

Reposição Hormonal Masculina
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Reposição Hormonal Masculina

2 outubro, 2019

A reposição hormonal masculina ainda é considerada um tema repleto de tabus e dúvidas por muitos homens. Isso porque a maioria deles não se queixa de problemas de saúde, mesmo quando o vigor físico e o desejo sexual diminuem, o raciocínio torna-se mais lentificado e existe o aumento de gordura abdominal.

E quando eles decidem procurar por um urologista, os especialistas em saúde masculina investigam os sintomas e encontram casos de hipogonadismo, um distúrbio bem frequente nos homens mais maduros.

Quando a reposição hormonal masculina é recomendada?

Essa é uma pergunta muito frequente que escuto durante as consultas, quando alguns homens resolvem deixar a vergonha de lado para perguntar. Sempre informo que a reposição hormonal masculina precisa ser feita quando os níveis de testosterona estão abaixo da normalidade, isto é, menores que 230 ng/dL e os sintomas clínicos do hipogonadismo estão presentes.

Além disso, é muito comum chamarmos essa situação física de andropausa, mas é um termo incorreto. As alterações hormonais do homem idoso são mais bem definidas como Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM), já que a diminuição da produção de testosterona não é um fenômeno isolado e ocorrem outras importantes alterações fisiológicas inerentes à idade, simultaneamente.

E como identificar os sintomas?

É bem simples, pois o próprio corpo vai dando sinais, como:

– Diminuição do interesse sexual, a libido.

– Dificuldade de ereção

– Falta de concentração e comprometimento da capacidade intelectual

– Perda de pelos

– Ganho de peso à custa de gordura, especialmente na cintura

– Diminuição de massa e força muscular

– Irritabilidade

– Insônia

Vale lembrar que por conta de um estilo de vida cada vez mais sedentário, o nível médio de testosterona nos homens diminui cada vez mais cedo. Além disso, não podemos esquecer que fatores como obesidade e diabetes podem intensificar o problema e prejudicar ainda mais.

Diagnóstico 

O diagnóstico de diminuição da testosterona em pessoas do sexo masculino deve ser clínico e com exame de sangue para a avaliação com dosagem da testosterona total. É importante saber que homens entre 40 e 70 anos de idade apresentam tendência de queda da testosterona total em 1,2% ao ano, por isso, não se assuste se sua vida sexual for afetada, já que essa queda de hormônio traz grande impacto na sexualidade.

A partir dos sintomas relatados ao especialista, o médico pode solicitar exames de sangue para avaliar a saúde do homem, como: testosterona total e livre, PSA, FSH, LH e prolactina, que apesar de ser um hormônio feminino, pode indicar alguma disfunção masculina.

Quais são os tipos de tratamentos? 

O tratamento normalmente é feito com a reposição de testosterona, que visa a restabelecer os níveis normais do hormônio masculino e diminuir os sintomas relacionados ao hipogonadismo.

Existem principalmente duas formas de reposição, isto é, injetável e transdérmica. Esta última normalmente necessita de aplicações diárias, ao passo que as injeções intramusculares podem ser feitas em intervalos mais espassados, a cada 3 semanas para alguns tipos de testosteronas até a cada 3-4 meses para outros tipos.

No entanto, é fundamental que seja estimulada a mudança nos hábitos de vida, tendo uma alimentação saudável, praticando exercícios físicos, evitando o tabagismo, ingestão de álcool com moderação e reduzindo o consumo de sal e de alimentos gordurosos.

Por quanto tempo a reposição hormonal masculina precisa ser realizada?

Normalmente o tratamento de reposição de testosterona dura a vida todas, tanto através das injeções quanto do uso transdérmico. No entanto, é muito importante fazer um acompanhamento muito próximo do urologista ao longo do tratamento. Isso porque o uso crônico de testosterona pode trazer alguns problemas, como hiperglobulia e problemas no fígado. Porém, um mito bastante comum é que a reposição de testosterona propicia o aparecimento de câncer de próstata, o que é uma mentira!

Curiosidades:

– Durante o envelhecimento do homem, os níveis de testosterona diminuem lentamente e gradualmente. Com isso, podem surgir sintomas que podem indicar a necessidade de reposição hormonal.

– Diferente da menopausa, das mulheres, a diminuição de produção hormonal masculina não determina o fim da fertilidade para o homem, apenas uma diminuição dela.

– A reposição hormonal quando bem indicada e feita com acompanhamento médico, traz muitos benefícios aos homens, como melhora da libido, perda de peso, aumento da massa muscular e da densidade óssea e diminuição dos riscos de doença cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral

Abs! Dr. Rafael F. Locali | Urologista | CRM 133874

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 99802-1564

Quer conhecer um pouco mais sobre o trabalho do Dr Rafael Localli? Clique em > https://drrafaellocali.com.br/

Dr. Rafal Locali
Dr. Rafael Fagionato Locali
Urologista
CRM 133874
Logo Dr. Rafael Locali

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE

planeta_22 planeta_11 planeta_22 planeta_11 menino_footer_blog_interno