Agende uma consultaFale conosco pelo WhatsApp

Incontinência urinária na infância

Incontinência urinária na infância
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Incontinência urinária na infância

13 abril, 2022

O descontrole urinário em crianças pode ser sintoma de enurese, e os pais devem estar atento aos sinais

A clássica ocorrência do xixi na cama durante a infância acontece com certa regularidade. No entanto, por mais comum que possa parecer, essa situação pode se caracterizar como uma incontinência urinária na infância.

É verdade que existem muitas outras causas para a incontinência urinária na infância, que vão desde malformações congênitas do trato urinário, como, por exemplo, duplicidade ureteral completa com ureter implantado em local ectópico, até doenças medulares complexas, que prejudicam o adequado funcionamento dos esfíncteres urinários.

No entanto, todas essas causas de incontinência urinária na infância são menos frequentes, de maneira que iremos nos focar um pouco mais no xixi na cama, cuja prevalência é bem maior. De acordo com dados do Hospital Sírio-Libanês, estima-se que episódios de enurese acometam 15% das crianças com 5 anos, 7% das que possuem 10 anos e 3% das que se encontram com 12 anos.

Sintomas e causas da incontinência urinária na infância

Os sintomas dessa patologia são facilmente identificáveis. Para observar se há a ocorrência de incontinência urinária na infância, os pais devem observar se a cama em que a criança dormiu ficou molhada, mesmo que bem pouco, se durante o dia a roupa ficou molhada de xixi ou com um cheiro característico, se existem idas muito frequentes ao banheiro ou presença de urgência, associação com perdas de fezes.

Outros sinais que merecem atenção:

  • Observar se a criança molha a calça ou o pijama;
  • Analisar a posição em que ela se senta no vaso sanitário – já que as meninas que se afundam na privada contraem muito o abdômen e não esvaziam a bexiga por completo;
  • Certificar se a criança vai ao banheiro fora de casa, como na escola, e incentivá-la a fazê-lo, já que o hábito de segurar o xixi prejudica o funcionamento da bexiga;
  • Identificar se o pequeno apresenta algum comportamento que pode desencadear esse quadro, como estresse ou ansiedade;
  • Verificar se o jato da urina é forte ou fraco e se existe alguma dificuldade da criança em urinar.

A enurese noturna tem um componente genético bastante forte (se um dos pais tiveram enurese, a chance de o filho ter é de 40%, subindo para 70% se ambos os pais tiveram esse problema), mas a causa é uma associação da baixa concentração de hormônio antidiurético durante a noite, com episódios de hiperatividade do músculo da bexiga (detrusor) e um limiar de despertar mais alto.

Entretanto, incontinência urinária na infância pode ter outras causas, como doenças medulares como a mielomeningocele, provocando ou episódios de hiperatividade do detrusor com perdas, incompetência esfincteriana, ou mesmo flacidez vesical com perdas por transbordamento. Além disso, malformações congênitas do trato urinário, especialmente as duplicidades ureterais, doenças sistêmicas como diabetes, infecções do trato urinário, constipação ou as disfunções vesicais desencadeadas por maus hábitos miccionais também podem provocar incontinência urinária na infância.

Diagnóstico

O diagnóstico de incontinência urinária em crianças não é tão difícil de ser feito, bastante a observação de que ocorre perda de urina. No entanto, o desafio é identificar a causa específica da incontinência, isto é, se relaciona-se com algum problema neurológico, malformação, enurese ou outros.

Nesse sentido, uma anamnese muito detalhada a respeito dos hábitos miccionais, início dos sintomas, volume de perdas e de líquidos ingeridos, momentos em que aparece, hábito intestinal, episódios de infecção do trato urinário são fundamentais para elaboração de uma hipótese diagnóstica. Além disso, muitas vezes precisaremos de algumas informações fornecidas por exames complementares, como ultrassom do trato urinário, estudo urodinâmico, diário miccional, cultura de urina e outros.

Tratamentos disponíveis

A depender da causa específica da incontinência urinária na infância o tratamento pode variar desde apenas medidas comportamentais e adequação das idas ao banheiro até procedimentos cirúrgicos mais complexos, como ampliação da bexiga e colocação de esfíncter artificial.

No entanto, considerando a enurese, o tratamento passa pela aquisição de bons hábitos miccionais, distribuição racional da ingestão de líquidos ao longo do dia, otimização do hábito intestinal, eventualmente fisioterapia e uso de medicações.

É importante lembrar que é um tratamento que demanda tempo para melhora completa dos sintomas, não podendo ter a expectativa de que a perda de urina melhora rapidamente. A resposta ao tratamento é individual e muito dependente do empenho e perseverança da criança e dos pais em seguir as recomendações!

Entre em contato com o Dr. Rafael Locali para saber mais detalhes sobre os tratamentos de enurese e incontinência urinária na infância.

Fontes:

Manual MSD

Sociedade Brasileira de Pediatria

Dr. Rafael Locali

 

Dr. Rafal Locali
Dr. Rafael Fagionato Locali
Urologista
CRM 133874
Logo Dr. Rafael Locali

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE

planeta_22 planeta_11 planeta_22 planeta_11 menino_footer_blog_interno