Agende uma consultaFale conosco pelo WhatsApp

Doenças urológicas mais comuns em crianças

Doenças urológicas mais comuns em crianças
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Doenças urológicas mais comuns em crianças

14 fevereiro, 2022

Várias são as patologias que podem afetar o sistema geniturinário das crianças. Para o correto diagnóstico e tratamento, um uropediatra deve ser consultado

 Engana-se quem pensa que as doenças urológicas são comuns apenas a pessoas adultas. Elas também ocorrem com frequência entre o público infantil e podem representar um risco à saúde das crianças. Além disso, quando as doenças urológicas em crianças não são tratadas adequadamente, podem levar a sérias complicações na idade adulta e afetar a vida do paciente.

O primeiro passo para evitá-las e diagnosticá-las precocemente é ter o hábito de levar as crianças para consultas regulares com um pediatra, pois esse médico acompanha a saúde geral das crianças. Quando necessário, ele indicará uma consulta com um uropediatra, médico especializado em doenças urológicas em crianças, que auxiliará no diagnóstico, prevenção e tratamento das mais diversas patologias.

Neste texto, vamos falar um pouco sobre quais são as doenças urológicas em crianças mais comuns.

Infecções penianas (balanites ou balanopostites)

A balanite é a inflamação da mucosa que reveste a glande (cabeça do pênis). Quando essa inflamação afeta tanto a glande como a parte interna do prepúcio, pele que recobre a glande, a enfermidade recebe o nome de balanopostite. É uma doença comum em crianças, pois é provocada por uma inadequada higiene do pênis.

Criptorquidia ou testículos não-descidos

Os testículos se formam no interior do abdômen e, habitualmente, migram até o escroto durante o crescimento intrauterino, de maneira que, ao nascimento, ambos os testículos devem estar localizados na bolsa testicular. Quando isso não ocorre, chamamos de testículos criptorquídicos ou testículos não-descidos. Entre as doenças urológicas em crianças, a criptorquidia é mais comum em recém-nascidos prematuros. A cirurgia para reposicionamento dos testículos deve ser feita antes dos 2 anos de idade, para que consigamos garantir um bom desenvolvimento e funcionamento do testículo.

Hipospádia

A hipospádia é uma malformação congênita que acontece com meninos e meninas, mas é muito mais comum em meninos. Ela é caracteriza por um posicionamento inadequado do meato uretral, em algum local entre o períneo e a glande, ao invés da ponta do pênis. Quanto mais próximo do períneo, maior é a gravidade do quadro e a complexidade do tratamento. Além disso, várias outras malformações podem estar associadas à hipospadia, como a curvatura peniana, distribuição irregular do prepúcio e a transposição peno-escrotal. O tratamento é cirúrgico, e pode ser realizado a partir dos 6 meses de idade, caso não exista nenhuma contraindicação para isso. É importante lembrar que, muitas vezes, são necessários vários procedimentos cirúrgicos para obtermos o resultado esperado.

Fimose

Esta é uma das doenças urológicas em crianças mais conhecidas e considerada normal em bebês. Trata-se de uma condição em que a pele do prepúcio não tem a elasticidade necessária para a exposição completa da glande, tanto com o pênis flácido quanto ereto, ou essa exposição até é possível, mas provoca dor e garroteamento da haste peniana. Nos casos mais severos, chega a impedir a saída da urina pelo pênis.

A fimose pode ser classificada em dois tipos:

  • Fimose primária: está presente desde o nascimento;
  • Fimose secundária: pode surgir em qualquer fase da vida, após um quadro de infecção ou traumatismo local do prepúcio.

O uropediatra é o profissional responsável por avaliar a necessidade de uma abordagemcirúrgica, a chamada circuncisão ou postectomia.

Hidrocele

É a presença de líquido em quantidades anormais no interior do escroto, envolvendo um ou os dois testículos. A hidrocele é classificada em comunicante, quando existe a persistência do conduto peritônio vaginal e pode associar-se à hérnia inguinal, e não-comunicante, quando o conduto peritônio vaginal está fechado.

É uma das doenças urológicas em crianças que pode desaparecer sozinha, especialmente se for do tipo não-comunicante, nos meses de vida. No entanto, a depender do volume do líquido, progressão do seu aumento, ou mesmo hidrocele comunicante, é indicado o tratamento cirúrgico.

Enurese (xixi na cama)

É a perda involuntária de urina durante o sono. Popularmente conhecida como “xixi na cama”, acomete crianças, em geral, a partir dos cinco anos, em intensidade variável, isto é, desde crianças com perdas diárias de urina, até aquelas com perdas raras.

A enurese é classificada em monossintomática, quando existe somente a perda de urina à noite, ou não-monossintomática, quando existem perdas ou sintomas miccionais durante o dia também. Além disso, existe a enurese primária, que está presente desde o desfralde da criança, ou enurese secundária, que surge após longo período de continência. Esta última associa-se mais a estresse e/ou traumas psicológicos, como morte de familiar, separação dos pais, acidentes, assaltos ou mesmo situações de abuso ou insegurança da criança. Por isso, é muito importante ter um olhar bem atento.

Nos casos de enurese primária, existe um componente familiar bem importante, isto é, grande parte das crianças com enurese tem os pais que também apresentaram essa doença.

O problema reflete uma imaturidade do controle neurológico da micção, portanto, grande parte do tratamento passa por ajudarmos a criança a acelerar esse processo de ganho de maturidade. Classicamente, essas crianças têm um sono muito pesado, contrações involuntárias da bexiga e secreção inadequada de hormônio antidiurético (ADH) durante a noite, e não apresentam nenhum problema estrutural do trato urinário.

O tratamento deve ser iniciado assim que detectado o problema, pois não é um processo rápido, e pode trazer grandes problemas de convívio social para as crianças. Esse tratamento consiste na aquisição de “bons hábitos” miccionais e de ingestão de líquido, assim como uso de alguns medicamentos, fisioterapia e uso de alarmes. Cada criança responde melhor a um tipo de abordagem, de maneira que uma avaliação de um especialista é fundamental para orientar o melhor caminho de tratamento.

Infecções urinárias

As infecções urinárias também constam entre as doenças urológicas em crianças que são bastante comuns. Em recém-nascidos e lactentes jovens atinge mais os meninos, ao passo que com o crescimento, as meninas são mais acometidas.

Existem inúmeras causas para os episódios de infecção de urina na criança, que vão desde higiene genital inapropriada e constipação, até malformações do trato urinário.

Por isso, é fundamental a investigação adequada de todos os casos de infecção de urina em crianças, pois esse problema tem potencial de causar danos ao rim, e, no longo prazo, comprometer seu funcionamento, causando insuficiência renal.

Hidronefrose

A hidronefrose não é uma doença em si, mas sim um estado de dilatação das vias excretoras, isto é, da pelve e cálices renais e/ou ureter, que pode ser provocada por uma série de doenças.

Também é considerada uma doença relativamente comum entre as doenças urológicas em crianças. É uma situação congênita, que nasce com a criança e, às vezes, já é observada no ultrassom ante-natal, ou é adquirida, como complicação de algum tratamento ou doença.

As doenças que mais comumente podem provocar a hidronefrose são as estenoses de junção uretero-piélica (JUP), refluxo vésico-ureteral e megaureter congênito. Existem outras menos comuns, como duplicidade ureteral completa com implante ectópico do ureter, válvula de uretra posterior ou ureteroceles.

O tratamento da hidronefrose passa pela identificação de sua causa e tratamento desta. Normalmente, as hidronefroses são causas de infecções urinárias de repetição nas crianças, e, por isso, demanda especial atenção, cuidado e assertividade no tratamento.

Para evitar a ocorrência e/ou complicações dessas doenças urológicas em crianças é importante comparecer às consultas de rotina com o pediatra. Caso ele observe alguma alteração, fará o encaminhamento adequado ao uropediatra, especialista que trata das doenças do sistema urinário de meninos e meninas. No entanto, também é fundamental atenção pais, pois se houver qualquer dúvida em relação a problemas do trato urinário das crianças, é possível procurar ajuda diretamente do uropediatra.

O Dr. Rafael Locali é urologista e urologista pediátrico e possui experiência no atendimento das mais diversas condições que afetam as crianças. Marque uma consulta.

Fontes:

Urologista Dr. Rafael Locali

MSD

Sociedade de Pediatria de São Paulo

Sociedade Brasileira de Urologia

Dr. Rafal Locali
Dr. Rafael Fagionato Locali
Urologista
CRM 133874
Logo Dr. Rafael Locali

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE

planeta_22 planeta_11 planeta_22 planeta_11 menino_footer_blog_interno